quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Horas

Desta horas que tenho de loucuras e devaneios, sinto-me cheia das loucuras  que acontecem e devaneiros que me desperção. A vida anda de sintura fina, rosto enrugada, mão calejadas, olhos entristecidos. Sinto-me encurralada sem ter opções, sem ter nada. As pessoas á volta se revoltam querem sempre mais e eu já me sinto cançada da batalha. Já não quero ver o que há atraz das muralhas nem o que acontece a minha frente. Cancei do meu próprio cançasso a brigas por todos os lados e eu faço parte delas. E não gosto delas das brigas. Das vozes altas, do dedo em riste. Depois olhos insanos, gritos, devaneios viver em um redemunho de misérias, ser arrastado na lama, na grama, nas chamas do ódio. Fazendo parte do inapartável e do irreconhecido já a tanto conhecido o irritante mal que nos assola e agride e temos ele por herança. Lágrimas me salvem me mostrem que ainda sou humana. Seca estou seca, secando. Morrendo um pouco a cada dia. Não há socego todos querem brigar, dicutir, odiar e eu também já me sinto assim e ouço minha voz nas discussões que assolam os dias sem fim. O corpo já cançado da tençao dói, a alma cançada susurra, a vida se perde em ódios, larimas e fins sem despedidas.

4 comentários:

Bárbara disse...

Querida Neusa queria eu te poder arrancar dos braços dessa tristeza e desses gritos malditos.
Que este meu grito de amizade seja mais alto que tudo o que tu ouves dentro de ti.
Que o som das minhas letras sejam o bastante para sanar esses gritos e angustias.
Neste momento gostaria de pedir a uma estrela brilhante que te traga para mim para um lugar longe de tudo o que conheças que o teu coração teus olhos e todo o teu ser conheça realidades diferentes das que conheces.
O mundo tem tanto a oferecer a gente sofre se angustia mas tem beleza também tem calma tem paz.
Hoje foi um dia ajitado mas eu agora estou a visitar-te estou calma tranquila eu o meu pc e tu querida Neusa.
Sentes o meu carinho?
Sentes esta paz que eu tenho ao tirar estes momentos apenas para ti amiga?
Eu gostava que por um momento tu fechasses os teus olhos e me sentisses perto de ti. Estendo as minhas mãos e te dou um abraço bem forte e te embalo em meus braços e te digo que tudo vai ficar melhor.
Não vou cantar uma canção de ninar rs,rs
Pois isso seria uma estragar um belo momento rs,rs
Mas de certo te tiraria um sorriso e me dirias que eu nunca iria ganhar um oscar de melhor cantora. rs,rs
Mas te faria um chá de doces ervas e o meu famoso bolo de ananá. rs,rs
Ou eu gosto de pensar que é famoso porque é dos unicos que eu sei fazer de melhor e faço sempre ele naqueles momentos que tenho que reconfortar.
È o Bolo do conforto que a minha mãe sente falta quando diz que as saudades pertam e lembra do meu chá e do meu bolo.
Minha amiga Fabi me deu uma receita de bolo de milho eu fiz umas duas vezes eu penso nela quando faço ela mora longe e eu sinto falta dela também rs,rs
se poderes faz um bolo de ananás e pensa em mim ou faz um de milho e deseja que um dia eu possa ir aí comer com vocês duas ela mora aí.
Eu vou terminar querida Neusa esta longa estas minhas palavras mas eu não quero ir eu juro que não quero.
Ao sair desta pagina eu vou sentir saudades tuas e a realidade também vai-me atingir.
Mas é a vida e eu sinto que ainda não fiz tudo o que me prepus a fazer. Eu vou sofrer neusa eu vou chorar mas eu também vou estar muito orgulhosa de todos os meus feitos de todas as minhas conquistas e até dos meus insucessos mas eu vou estar aqui para ver tudo o que esta vida me reserva.
Beijos querida Neusa eu sinto saudades tuas.
Feliz dia de São Valentim.

Fabi disse...

Olá Neusa soube de você pela Bárbara a conheci do mesmo modo que você, pelo mundo virtual, e também do mesmo modo tenho por ela um grande carinho, ela disse que tinha falado de mim e do meu bolo de milho por aqui então resolvi dar um olá para você, como você sou aqui do sul, antigamente morava na região metropolitana de POA agora moro na serra.Li seus textos eles são fortes, pesados, angustiantes, quase sangram... Um abraço carinhoso a você

Neusa Matos disse...

Querida Barbara desculpas eu peço a ti pelas pelo texto. Mas eu ia esplodir se não o escrevesse. Ultimamente são tantos os momentos que sinto assim triste. Me entristesso pelos que me sercam nos ódios que os sercar, e que me dececam. E hoje faço parte disto e deste ódio que me come por dentro feito bixo. Eu morro um pouco a cada discução preciso fugir disto preciso recriar-me. Preciso mudar. Não gosto de fazer ninguém sofrer mas aprendi que se eu não fizer sofrer a vida o fará e de forma mais doida. Eu queria poder abraçar de tirar toda esta dor mas o meu abraço agora já não serve mais. Não consola apenas isola uns dos outros.Sinto-me em um teia e a aranha que criou a teia sou eu mesma com as minhas decisões. Pouco a pouco vou me enredando e já não consigo respirar aqui dentro.
Desculpa se te preocupo hoje estou melhor tomei algumas decisões e causaram mais discuções. amanhã sera outro dia e tomarei outras um dia alguém me disse que há necissidades urgentes de podas. Me disseram a importância do abraço e da poda. Só aprendi isto como uma pequena árvore que adotei em casa e de vez em quando ela precisa ser podada. Precisa ver você corta os galhos e dias depois novas folhas substituem ás novas e ela fica linda. Claro que sofreu com a poda mas ao cortar-lhe os velhos galhos outros dela puderam nascer. Ás vezes querida Barbara fugimos da dor mas é preciso vive-la pois de outra forma não sentiriamos renovadas as nossas esperança e nunca mudariamos de caminho e não descubririamos que nada perdemos apenas acompanhado do passado que vivemos nos damos a chance de viver o presente em outros lugares. Copartilhados com outras pessoas. Que conhecemos agora ou que conheceremos amanha como a tua amiga do bolo de milho a Fabi. Se eu não tivesse declarado a minha angustia como viria ela a vizitar-me e eu a conhece-la.
Certo que perdi folhas lindas mas com certeza novas viram obrigada por você mais uma vez me fazer sorrir. E sim sento-me em minha sala e sobre a mesa o bolo de Anana e um bule fumegante de doces de ervas nos espera. A louça sobre a mesa e nós a conversar, sinto teu abraço e me enlaço nele e fico feliz por aqui estar. Enquanto escrevo suspiro já com saudades. Beijos minha linda que Deus esteja junto a ti beijos e muito obrigada pelo conforto do teu bolo, do teu chá, do teu abraço, da tua amizade.

Neusa Matos disse...

Querida Fabi muito prazer desculpa se meus textos de alguma forma te causaram má impressão. Escrever o que sentimos depende muito do que vivemos no momento já escrevi textos mais românticos. Mais suaves, mais alegres e até reconfortantes. Já escrevi cartas de amor e emprestei a amigas apaixonadas. Vi alguns romances nascerem dos meus escritos e morrerem ao lhes descubrirem ás mentiras. Já vi outros não valerem a pena terem sido usados. E vi também por eles abençoados. De qualquer forma obrigada pela descrição de meus textos obrigada pelo elogio posto que consegui com que eles te tocassem e a fizesse descrevê-los de forma tão perfeita.
Obrigada pela vizita sinta-se em casa, obrigada pelo abraço carinhoso que me deste. Igualmente lhe envio um abraço forte e feliz por ter de ti o mesmo recebido.